Correios preparam edital de licitação para expansão das agências franqueadas

6656
Jorge Lima mostrou que expansão das agências franqueadas dos Correios dependerá de necessidades do mercado
Jorge Lima mostrou que expansão das agências franqueadas dos Correios dependerá de necessidades do mercado

Os Correios farão a expansão da rede de agências franqueadas e a previsão é que o edital de licitação de contratação seja lançado ainda neste ano, após análise do Tribunal de Contas da União (TCU). O especialista em gestão de franquias da rede de atendimento terceirizada dos Correios, Jorge Lima, explicou que ainda não há uma previsão de quando ocorrerá o lançamento deste edital, mas adiantou que está sendo contratada uma empresa de consultoria privada para moldar o documento.

Lima disse que essa expansão será preparada de acordo com as necessidades do mercado e adiantou que a ideia é diversificar os modelos de agências de acordo com o que cada município necessita. O edital deverá incluir modelos diferentes de lojas, para pequenos, médios e grandes mercados. Atualmente, os Correios possuem apenas um tipo de loja e o que varia são os números de guichês de atendimento.

Atualmente, os Correios têm 6,458 mil agências próprias em todos os municípios brasileiros e 1.011 agências franqueadas no País. O maior número de franqueadas é encontrada em São Paulo, com 324 agências do tipo, seguido por Minas Gerais, com 139. No Rio de Janeiro são 115 agências franqueadas. Embora as franqueadas sejam em menor número do que as próprias, mas a participação delas na receita dos Correios é de 57% do total.

Os Correios iniciaram a atividade de criação de agências franqueadas em 1990 e na ocasião, elas não eram contratadas por meio de edital, que passou a ser exigido a partir de 2008, com a aprovação do Decreto 6639. Com isso, o prazo para migração das agências franqueadas sem licitação para o novo modelo com licitação foi estabelecido em 2011. Desde então, todas as agências franqueadas novas precisam passar por processo de licitação.

O interessado em participar deve disponibilizar um imóvel para a instalação da loja dos Correios. O processo licitatório é executado dentro da concorrência por melhor proposta técnica e o contato de vigência da franquia é de dez anos podendo ser prorrogado por mais dez anos. O valor de investimento depende do tamanho das agências. O modelo padrão, com dois guichês de atendimento, tem uma taxa inicial de R$ 16,5 mil.

Parceria

No evento, o presidente da Associação Comercial do Rio de Janeiro (ACRio), Paulo Protasio, sinalizou a intenção de acertar parceria com os Correios, para a segunda fase do projeto Chama Empreendedora. Na ocasião, Lima foi atualizado sobre a atuação da primeira fase da Chama e perspectivas para a próxima fase.

Paulo Protasio sinalizou parceria com os Correios para segunda fase do Chama Empreendedora
Paulo Protasio sinalizou parceria com os Correios para segunda fase do Chama Empreendedora

O especialista realizou palestra na reunião do Conselho Empresarial (CE) Franchising nesta segunda-feira (20/06) com o tema Franquia Pública: A Experiência dos Correios.

Depoimentos:

Paulo Protasio, presidente da ACRio:

“Estamos trabalhando a área internacional em busca de um grande congresso de todas as câmaras do comércio do mundo no Rio e os Correios são nossos parceiros no projeto, juntamente com o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio (MDIC). Fomos a 17 cidades e estamos trabalhando para avançar com o Chama Empreendedora. O objeto é trabalhar não só na direção de um esforço para fazer com que os Correios sejam atendidos pela nossa capilaridade de associações comerciais de outros estados”.

Jorge Lima, especialista em gestão de franquias da rede de atendimento terceirizada dos Correios:

“A ideia da empresa é que ainda neste ano lance o novo modelo de edital. Estamos contratando uma consultoria privada e a partir da construção desse edital será submetido ao TCU e, sendo aprovado, colocamos o edital na rua o mais rápido possível para fazer a licitação”.

Luiz Felizardo Barroso, presidente do CE Franchising:

“A franquia pública é um feliz casamento da iniciativa privada com a atividade do ente público. Possiblita que este possa capilarizar sua atividade sem perda do controle. Uma das vantagens da franquia pública é a privatização da atividade sem que o ente público perca o controle. Essa é a grande vantagem e areja a atividade que muitas vezes fica confinada aos ditames da lei”.

Taxa da franquia, de acordo com Jorge Lima, depende do número de guichês de cada agência
Taxa da franquia, de acordo com Jorge Lima, depende do número de guichês de cada agência
COMPARTILHE