PELC tornará o estado do Rio plataforma multimodal

590
Entrega do plano foi realizado no Centro de Convenções da ACRio
Entrega do plano foi realizado no Centro de Convenções da ACRio

O Plano Estratégico de Logística e Cargas do Estado do Rio de Janeiro (PELC) 2045 tem a capacidade de transformar o Rio em uma plataforma multimodal para os demais estados, segundo o presidente do Conselho Empresaria (CE) Logística e Transporte, da Associação Comercial do Rio (ACRio), Eduardo Rebuzzi, e ajuda o estado a concretizar a ideia de ser uma rótula logística do País, conforme disse o presidente da ACRio, Paulo Protasio, acentuando a localização estratégica do estado, podendo ser um elo de ligação com o Centro-Oeste, São Paulo e o Norte do País.

“O Rio precisava de um plano nesse sentido e o estado é a rótula, pois é o que mantém o Brasil de pé. O PELC trouxe de volta a ideia de tornar o Rio a rótula do País”, comentou o presidente da associação.

Para presidente Paulo Protasio, o Rio está em posição estratégica no País
Para presidente Paulo Protasio, o Rio está em posição estratégica no País

A entrega do PELC foi realizada na quinta-feira (02/06) em seminário realizado na sede da ACRio, no Centro. O evento também teve a participação do secretário estadual de Transportes Rodrigo Vieira, que ressaltou a importância estratégica do estado. “Estaremos fortalecendo o porto do Rio e a vias de escoamento. O Rio tem uma importância não só para o estado como também para todos os estados do Sudeste”, disse.

Para Rebuzzi, o estado tem um ativo logístico importante, com a estrutura de portos, ferrovias e rodovias, mas que precisam ser aprimorados e disse que este será um plano de estado e não somente de um governo. “A partir de agora deixa de ser um plano deste governo para ser de estado. O governo do estado assinará um decreto e há um projeto de lei na Alerj (Assembleia Legislativa do Estado) para que venha a ser aprovado como plano de estado, que não possa ser alterado e nem deixar de ser cumprido. A sociedade terá um instrumento que deverá ser respeitado pelos governantes”, disse.

Secretário Rodrigo Vieira diz que as vias de escoamento serão fortalecidas
Secretário Rodrigo Vieira diz que as vias de escoamento serão fortalecidas

O detalhamento do PELC ficou a cargo do subsecretário estadual de Transportes, Delmo Pinho, que também é conselheiro do CE Logística e Transporte. Segundo ele, o plano levou 30 meses para ser concluído e prevê ações em todos os segmentos dos transportes para um período de 30 anos. “É um plano diretor e estratégico e está bem alinhado com os mais modernos. Começamos bem porque esse plano é bastante denso e pode ser considerado um dos melhores do País”, disse.

Em sua palestra, o subsecretário fez algumas críticas a decisões ao setor de transportes que foram tomadas nos últimos anos, como o caso da liberação do Aeroporto Santos Dumont, no Centro, para outros voos que não sejam da ponte aérea Rio-São Paulo. De acordo com ele, essa abertura prejudicou o Aeroporto Internacional Galeão/Tom Jobim, que era o hub de operações aéreas vindas do exterior ao Brasil.

Rebuzzi ressaltou que ideia é tornar PELC projeto de estado

“Hub é centralização, então não pode ficar indefinidamente dividindo a demanda porque senão não poderá ser criada uma grade de voos suficientemente densa para atrair os passageiros de outras unidades da federação. Então há de ser estabelecer um limite de convivência entre o Santos Dumont e o Galeão nesse sentido”, disse.

O PELC RJ 2045 foi elaborado para a Secretaria de Estado de Transportes e tem a Associação Comercial do Rio de Janeiro (ACRio) como uma das principais entidades parcerias no projeto. Serve como base estratégica para o governo possa elaborar política pública para o transporte de cargas e logísticas.

Subsecretário Delmo Pinho esclareceu os pontos do PELC e a distribuição das 12 âncoras do projeto
Subsecretário Delmo Pinho esclareceu os pontos do PELC e a distribuição das 12 âncoras do projeto

Com uma perspectiva estratégica, foram definidos 12 conjuntos de equipamentos de infraestrutura, as chamadas âncoras do projeto. Em torno delas os pleitos foram organizadas em agrupamentos de acordo com suas características físicas e logísticas. Um exemplo é o Eixo Multimodal Rio-Minas, que tem grande potencial de atração de novas cargas para exportação o sul de Minas, da região de Belo Horizonte e do Centro-Oeste utilizando os portos do Rio.