Projeto básico de extensão da linha 2 do metrô será contratado entre agosto e setembro

1480
Conselho tira dúvidas de participantes sobre operação do metrô durante os jogos
Conselho tira dúvidas de participantes sobre operação do metrô durante os jogos

O projeto básico da extensão da linha 2 do metrô do Rio de Janeiro, ligando Estácio-Central do Brasil deverá ser contratado entre agosto e setembro deste ano. A informação foi dada nesta terça-feira (17/05) pelo presidente da concessionária MetrôRio, Flávio Almada, que participou da reunião do Conselho Empresarial (CE) Logística e Transporte, da Associação Comercial do Rio de Janeiro (ACRio). Ao lado do diretor de Operações, Daniel Habib, o conselho discutiu a operação do sistema metroviário para os Jogos Olímpicos Rio 2016.

Segundo Almada, as composições que viriam da Pavuna, em vez de entrar na linha 1 A e compartilhar o trecho com a linha 1, passariam pela Estácio e chegariam à Central. “São cerca de 3,8 quilômetros de túnel e poderíamos mais do que duplicar a capacidade da linha 2, ou seja, é um trecho muito importante”, disse.

Almada explicou também que a execução do projeto básico levaria cerca de um ano e após esse período seria feito o projeto executivo. Caso tudo saia como previsto, o início da operação se daria cerca de cinco anos após a contratação do projeto básico da extensão.

Flávio Almada ressaltou que ligação Estácio-Central será de grande importância para a demanda
Flávio Almada ressaltou que ligação Estácio-Central será de grande importância para a demanda

O presidente da concessionária disse também que a escavação do túnel da extensão poderá ser feito com o Tunnel Boring Machine (TBM), conhecido como Tatuzão, que foi o responsável pela escavação, na Zona Sul, dos túneis da linha 4.

Linha 4

Em palestra, o diretor de Operações da concessionária falou sobre a operação olímpica do sistema metroviário. Segundo ele, a princípio, os passageiros provenientes da Zona Sul e que utilizarão a nova linha, terá de fazer o transbordo na estação General Osório, em Ipanema, para tomar os trens da linha 4. Inicialmente, a utilização da linha 4 estará restrita somente aos usuários que acompanharão as competições dos Jogos Olímpicos Rio 2016, na Barra da Tijuca, na Zona Oeste. No entanto, Habib acenou com a possibilidade de, futuramente, o metrô operar com ligação direta da linha 1 para a linha 4, sem necessidade de transbordo.

Durante os jogos ele explicou que as estações do metrô irão estender o horário de funcionamento em até duas horas, em alguns dias dos jogos, para atender a chamada família olímpica. De 5 a 22 de agosto, a extensão será de uma hora a mais, porém, nos dias 5, 6, 12, 13 e 21, a extensão no horário será de duas horas, para atender ao público que irá ao estádio do Maracanã assistir às cerimônias de abertura e de encerramento e aos jogos do torneio de futebol.

“Vamos operar a linha 2 normalmente, com intervalos de quatro minutos, de Botafogo à Central. A linha 1 também opera com quatro minutos e, inicialmente, a linha 4 estará ofertando com intervalos de oito minutos. Mais do que suficiente para atender a família olímpica e os portadores de ingressos”, ressaltou.

O presidente do conselho, Eduardo Rebuzzi, disse que o planejamento do metrô irá se dedicar à família olímpica. “Vai ser um período que a linha 4 ainda irá operar abaixo da oferta. Mas a concessionária está bem preparada e espero que tenhamos sucesso”, disse.

Durante a reunião, foram empossados novos membros do conselho são eles: Carmen Fridman Sirotsky, Roberto Marques da Costa Neto e Mário Mendonça.

Roberto Marques, novo conselheiro; vice-presidente do Conselho Superior da ACRio, Marco Polo Sampaio Moreira Leite; Flavio Almada; Daniel Habib; e presidente do conselho, Eduardo Rebuzzi, em entrega de diploma de participação aos palestrantes
Roberto Marques, novo conselheiro; vice-presidente do Conselho Superior da ACRio, Marco Polo Sampaio Moreira Leite; Flavio Almada; Daniel Habib; e presidente do conselho, Eduardo Rebuzzi, em entrega de diploma de participação aos palestrantes