Retrospectiva Conselho Empresarial de Segurança Pública, Ética e Cidadania

35

Durante o mês de maio, os presidentes dos Conselhos Empresariais da ACRio falam sobre os projetos realizados no biênio 2015-2017; sobre a projeção de atividades de cada setor para o Rio de Janeiro e o país; e a interação dos 23 CE’s na retomada do desenvolvimento. O campo de Segurança Pública vive um período conturbado no Rio de Janeiro. Não alheio a situação, o Conselho Empresarial de Segurança Pública, Ética e Cidadania (Consec) promoveu encontros com diversas instituições na busca de soluções profundas no momento atual do setor.

No campo da Ética e Cidadania não é diferente. Em parceria com o Rotary Club do Rio de Janeiro e os Amigos da Ética, o Consec realizou o seminário “Ética: um princípio que não pode ter fim”. O presidente do Conselho, Luciano Porto, fala sobre o biênio 2015-2017 nessa retrospectiva.

Luciano Porto
O presidente do Consec, Luciano Porto

Quais foram as principais ações do conselho durante sua gestão?

No último ano, o Consec lidou com um período de tripla crise, em cada um de seus três setores, no Brasil, no Estado e no Município. Neste período, atualizamos o Conselho com a adesão de novos especialistas, passando a contar com todo o grupo conectado no WhatsApp, oferecendo troca de informação permanente e em tempo real, num novo ritmo de atividade que modernizou os 40 anos de existência do Conselho. Retomamos a rotina das reuniões mensais abertas, dando ressonância ao trabalho de inúmeros profissionais especializados, divulgando e apoiando seus progressos e desafios. Online e presencialmente, o Consec retomou sua história de participação ativa no diálogo nacional dos seus 3 temas.

Olhando para o futuro, quais as projeções de atividades em prol da ACRio e da cidadania poderão ser feitas através do conselho que o senhor preside e dos Conselhos Empresariais de modo geral?

A atuação sinérgica do Consec com os demais Conselhos poderá viabilizar soluções conjuntas como incentivar o uso da tecnologia para a otimização da segurança pública; na educação para o Combate à receptação de cargas roubadas; na qualificação profissional para a ação integrada do sistema policial e do sistema judiciário; na reinserção social do menor infrator e do egresso do sistema penitenciário; entre outros. Nós também estamos em contato com diferentes entidades como, por exemplo, o Instituto de Segurança Pública (ISP), na confirmação integrada de Estatísticas Criminais para a inteligência policial.

O que a interação dos 23 conselhos da ACRio pode gerar?

Os Conselhos Empresariais da ACRio somam suas experiências para repensar o Rio e o Brasil, buscando soluções para a variedade de crises que nos afetam. Refletem o histórico compromisso da ACRio com a geração de conteúdo qualificado, livre e transformador. Somos é uma instituição de livre adesão há 200 anos e a continuidade dessa união, no associativismo voluntário, requer um sonho comum. Diz-se que Guimarães Rosa falou: “Não faça biscoitos, faça pirâmides”. Numa associação comercial, os fazedores de biscoitos associam seus esforços e energias para construir pirâmides, que não fariam sozinhos. Por isso é fundamental a atuação integrada dos Conselhos Empresariais da ACRio.

COMPARTILHE