Rio 2016 e a volta do desenvolvimento do país

338

Para o presidente do Comitê Olímpico Brasileiro (COB), Carlos Arthur Nuzman, e o Ministro dos Esportes, Leonardo Picciani, as Olímpiadas Rio 2016 são o salto que o país precisa dar para a retomada do desenvolvimento econômico. “O Brasil sai forte desses Jogos Olímpicos. Deu uma demonstração incrível de organização, de estrutura, de vontade, de parcerias públicas, de parcerias privadas e eu queria deixar isso muito claro: o sonho virou realidade”, exalta Nuzman.

Para Picciani, o país deu o primeiro passo para uma virada de página no momento atual. Segundo o Ministro, realizar a Rio 2016 era imprescindível para a retomada do desenvolvimento e para a demonstração da solidez das nossas instituições. “Nós começamos a enxergar o esporte como uma ferramenta social, como oportunidade de geração de empregos, de renda, do desenvolvimento econômico, que é a prioridade do presidente Michel Temer”, explica Picciani durante o Almoço do Empresário, realizado no dia 14 de setembro.

Nuzman, Picciani e Protasio
Nuzman e Picciani assinaram o tradicional livro de visitas da ACRio. Autoridades estiveram na Casa de Mauá no dia 14 de setembro

O presidente da Associação Comercial do Rio de Janeiro (ACRio), Paulo Protasio, disse que a cidade e a população se mostraram prontas para sediar eventos que podem trazer investimentos para o país. “Nós estamos alinhados em um processo, em uma agenda impressionante para o Rio nos próximos 6 anos. Nós provamos ao mundo que somos capazes”, afirma Protasio.

Protasio e Nuzman
Nuzman recebe das mãos de Protasio o troféu Visconde de Mauá Desenvolvimento do Esporte 2016

Nuzman também destacou que, mesmo com tantos problemas, o Brasil e o Rio de Janeiro nunca desistiram de realizar o maior evento do planeta. O presidente do COB recebeu o Prêmio Visconde de Mauá Desenvolvimento do Esporte 2016. “É uma honra receber esse prêmio. Divido, principalmente, com os governos que ajudaram na construção desse evento magnífico”, completa Nuzman.

O Ministro dos Esportes afirmou que Nuzman foi fundamental para que os Jogos Olímpicos viessem para o Rio de Janeiro. “Ele simboliza todo o esforço feito para este evento”, declara Picciani.

Ferraz, Picciani, Protasio e Machado
Também durante o Almoço do Empresário, o doutor Hélio Ferraz; o Ministro dos Esportes, Leonardo Picciani; e o presidente da ACRio, Paulo Protasio, deram posse ao novo presidente do Conselho Empresarial de Esportes da ACRio, Eduardo Machado.

Prêmio Casas de Hospitalidade Rio 2016

Na ocasião, também aconteceu a entrega do Prêmio Casas de Hospitalidade Rio 2016, que coroou as melhores casas temáticas dos países e empresas que estiveram na cidade durante o período olímpico e paralímpico.

O prêmio é uma iniciativa da ACRio, em parceria com a Empresa Olímpica Municipal (EOM), a Subsecretaria de Relações Internacionais do Estado do Rio de Janeiro e a Coordenadoria de Relações Internacionais da Prefeitura do Rio de Janeiro. As melhores Casas de Hospitalidade nas categorias Legado, Inovação, Confraternização, Promoção Cultural e Promoção de Negócios foram homenageadas durante a entrega dos certificados. As casas da Federação Internacional de Voleibol (FIVB), da Hungria, Suíça, Catar, Ernst & Young e NBA, respectivamente, conquistaram o Prêmio “Casas de Hospitalidade Rio 2016”.

O Cônsul-Geral da Suíça, Giancarlo Fenini, o prêmio reforça o trabalho de quase 2 anos de toda a equipe. “Foram mais de 140 pessoas que trabalharam em um esforço comum muito forte. A ideia principal da nossa Casa é a fusão na cultura carioca com a suíça. E o resultado disso foi a confraternização de toda a população”, afirma o Cônsul-Geral.

Protasio, Parreira e Suíça
O presidente da ACRio, Paulo Protasio, e o ex-técnico da Seleção Brasileira de Futebol, Carlos Alberto Parreira, entregam o Prêmio Casas de Hospitalidade Rio 2016 – Categoria Confraternização para Casa Suíça

Vencedores na categoria Legado, a Casa do Vôlei trouxe a integração com projetos sociais e a Escola Municipal Cícero Pena, em Copacabana, investindo R$ 650.000 na reforma da estrutura da escola, melhorando as condições de estudo de cerca de 600 alunos. “É muito bom a gente ganhar esse prêmio e ver que atingimos o nosso objetivo. As crianças participaram do nosso projeto, ganharam uma escola nova, puderam saber mais sobre o voleibol e participaram de um jeito que jamais imaginavam de uma Olimpíada”, exalta a Relações Públicas da FIVB, Mariucha Moneró.

A Ernst & Young foi uma das empresas que construíram sua casa temática na Rio 2016. Eles venceram o “Casas de Hospitalidade Rio 2016” na categoria Promoção de Negócios. “Esse prêmio é o ponto alto do nosso programa olímpico e o reconhecimento de quem sabe o que é importante para a cidade neste momento oportuno. Trazer um legado permanente para os negócios da cidade e começar a colher todos os frutos que foram plantados durante esse período”, afirma o Diretor Executivo de Mercados da EY, Marcos Nicolas.

Clique aqui para acessar a lista completa com os vencedores.